MENU
Estados
Modo escuro
Menu
Início A revolução energética da China: lagos transformados em gigantescas usinas de painéis solares

A revolução energética da China: lagos transformados em gigantescas usinas de painéis solares

31 de janeiro de 2024 às 19:11
Compartilhe
Compartilhar no WhatsApp
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no Telegram
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no E-mail
Siga-nos no Google News
A revolução energética da China: lagos transformados em gigantescas usinas de painéis solares
Foto: Divulgação/Usina solar flutuante

A China está realizando um feito notável ao transformar lagos inteiros em usinas de painéis solares, destacando-se como líder mundial em energia sustentável.

Em um movimento audacioso rumo à sustentabilidade, a China está cobrindo lagos inteiros com painéis solares. Este projeto inovador, que une tecnologia avançada e preocupação ambiental, reflete o compromisso do país em liderar a revolução da energia limpa global.

Usina Solar Flutuante de Huainan

Ao leste da China, a Usina Solar Flutuante de Huainan é considerada a maior do seu tipo no mundo. Com uma área de 8,6 hectares – equivalente a 121 campos de futebol – a usina conta com 165.000 painéis solares, capazes de produzir 40 MW, energia suficiente para abastecer cerca de 15.000 residências.

Artigos recomendados

A cidade, anteriormente conhecida por suas minas de carvão, hoje se destaca como um exemplo de transformação energética. A cidade, parte do Círculo Metropolitano chinês, tem uma rica história, sendo o berço do tofu e um centro de inovação tecnológica.

China e a luta contra a poluição

A China, enfrentando sérias consequências devido à sua alta taxa de poluição, adotou estratégias agressivas para combatê-la. Estudos indicam que entre 2000 e 2016, a poluição do ar pode ter sido responsável por até 30 milhões de mortes precoces no país.

Cumprindo o Acordo de Paris, a China se comprometeu a maximizar a redução de emissões de carbono até 2030 e a expandir suas fontes renováveis de energia em 20%. A Usina de Huainan é um pilar fundamental nessa estratégia.

Tecnologia e eficiência das usinas solares flutuantes

Uma das razões para a escolha de uma usina solar flutuante é a eficiência melhorada dos painéis, que perdem eficácia com o aumento da temperatura. A proximidade com a água reduz o risco de superaquecimento, aumentando a eficiência entre 5% a 15% em comparação com as usinas solares terrestres.

O processo de montagem da usina envolveu a fixação dos painéis solares em flutuadores resistentes, ancorados firmemente para acomodar variações de nível de água e condições climáticas. Essa abordagem permite o aproveitamento de áreas inundadas, que de outra forma seriam inúteis, para a geração de energia.

Comparação global e impacto futuro

Com mais de 400 usinas solares e um investimento de mais de 368 bilhões de dólares entre 2016 e 2020, a China se estabelece como líder na produção de energia limpa. Projetos semelhantes, embora em menor escala, podem ser encontrados no Brasil e no Japão, mas a usina de Huainan se destaca pelo seu tamanho e capacidade.

O avanço da China na energia solar flutuante sugere um futuro promissor para a tecnologia, com potencial para ser adotada por outras nações. A usina solar flutuante de Huainan é um exemplo de como a inovação pode ser usada para enfrentar desafios ambientais, oferecendo uma solução inteligente e eficaz para a geração de energia sustentável.

A transformação de lagos em usinas solares na China é mais do que um feito tecnológico; é um símbolo de um compromisso com a sustentabilidade e a inovação. Este projeto não só atende às necessidades energéticas locais, mas também serve como um modelo para o resto do mundo na busca por soluções de energia limpa e eficiente.

Relacionados
Mais recentes