Saturday, 23 de October de 2021

Ceramfix, uma das maiores empresas de Construção Civil, se uniu a alemã ARDEX para revolucionar o setor de obras do Brasil

Setor de Obras e Construção Civil será beneficiado pela joint venture formada entre a brasileira Ceramfix e a alemã ARDEX

Setor de Obras e Construção Civil será beneficiado pela joint venture formada entre a Ceramfix e ARDEX, onde serão desenvolvidos produtos com essências nacionais, mas com uma tecnologia proveniente do exterior

O setor de construção civil está em um de seus melhores momentos. Um modo de saber disso é o fato que está faltando profissionais, para que as obras possam ser construídas. Empresas estão fazendo altos investimentos para obter um retorno ainda maior. Esse ramo é movido por dois lados: as companhias e os trabalhadores. Partindo desse pressuposto, a partir de hoje, 22, a expectativa é que o cenário da construção sofra uma mudança, através de uma joint venture formada entre a ARDEX e a Ceramfix, que promete ser revolucionadora.

Leia mais notícias:

Qual a proposta da ARDEX e Ceramfix que promete revolucionar a Construção Civil nacional?

A Ceramfix, é uma companhia brasileira que possui referência nacional, quanto sua produção de argamassas, rejuntes e outros produtos. No ramo em que atua, já possui em sua história, o Prêmio Anamaco, tido como sendo o Oscar da Construção Civil. Atualmente, é responsável por 8% do mercado nacional, ocupando o terceiro lugar como sendo a empresa mais atuante do setor. Seu faturamento anual médio é de R$ 300 milhões, onde são produzidos e comercializados, cerca de 400 mil toneladas de produto.

Para que seja uma das melhores empresas no setor, a Ceramfix possui seis fábricas, sendo que elas se localizam em: Abadiânia (GO), Alto Paraná (PR), Campo Grande (MS), Gaspar (SC), Osório (RS) e Rio Claro (SP). De modo que seus produtos sejam levados para os quatro cantos do país, a companhia possui quatro unidades distribuidoras, onde estão localizadas em: Chapecó (SC), Ciudad Del Este (Paraguai), Confins (MG) e Serra (ES).

Já a ARDEX, trata-se de uma empresa fundada na Alemanha, em 1949, um dos maiores players no setor de construção civil a nível mundial. Juntas, a expectativa é que elas possam entregar para as obras brasileiras, materiais de qualidade, rapidez na logística e claro, muita tecnologia.

Com essa união estabelecida, as obras terão suas etapas sendo realizadas de forma mais rápida. Além disso, o principal foco da joint venture, é buscar aprimorar a qualidade de trabalho e materiais que serão entregues para a realização das seguintes categorias: arquitetura, infraestrutura, indústria e engenharia.

Tecnologias atuais sendo implementadas em Obras e Construção Civil no Brasil

Para a companhia brasileira, esse está sendo um momento único, onde, poderá ser levado a essência brasileira, mas agora, sendo aplicada com um potencial maior advindo da alemã ARDEX. Assim, será possível que ambas tenham seu espaço e preservem aquilo que as fez chegar tão longe no mercado.

Segundo o diretor comercial e sócio da Ceramix, Antonio Carlos Schmitt, “a Ceramfix buscava um parceiro de peso e tecnologia que tivesse os mesmos valores da marca, para que o DNA do negócio não fosse perdido. A fusão permitirá agregar tecnologia e oportunidades, oferecendo um portfólio global de soluções com foco em desempenho e inovação”.

Essa joint venture promete revolucionar nos próximos anos, a construção civil brasileira. Com o auxílio da tecnologia, desenvolver produtos inovadores, mas que possuam um excelente custo-benefício e assim, minimizar os valores das obras e reformas para a população. E, mesmo assim, com produtos que sejam de ótima qualidade, oferecendo sempre o melhor e prático. “A parceria ainda possibilitará à Ceramfix explorar o mercado de flooring e aprimorar outros que já atuamos, com impermeabilizantes, colantes, rejuntes, revestimentos, decorativos, fachadas e reparos”, revelou o diretor comercial.

Ruth Rodrigues
Formada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua como redatora e divulgadora científica.