Início Faturamento das indústrias de materiais de construção tem leve aumento em outubro

Faturamento das indústrias de materiais de construção tem leve aumento em outubro

10 de novembro de 2022 às 17:22
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Vagas para Pedreiro
Vagas para Pedreiro (Reprodução: divulgação)

São Paulo, 10 de novembro de 2022 – A ABRAMAT (Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção) divulga nessa quinta-feira, 10, a nova edição da sua pesquisa Índice, elaborada pela FGV com dados do IBGE, apresentando os dados de faturamento do setor. O estudo completo pode ser acessado pelo link

A pesquisa indica que em setembro houve leve aumento no faturamento das indústrias de materiais de construção. O resultado do mês é de crescimento de 0,3% sobre agosto. Na comparação com o mesmo mês de 2021 houve retração de 0,1%, o que representa a menor diferença desde que a comparação passou a ser negativa em setembro do ano passado.

Com esse resultado, o faturamento da indústria de materiais fica 6,6% abaixo do verificado no mesmo período de 2021. A diferença para 2021 começa a se reduzir, e a projeção da FGV para o ano de 2022 foi revista, passando a apontar uma queda de 2,2%, com um viés de baixa.

“Tradicionalmente, a FGV faz uma revisão das projeções anuais no último trimestre, quando já se dispõe de mais informações sobre a dinâmica corrente do mercado. A revisão atual indicou um faturamento deflacionado de menos 2,2% quando comparado com o ano anterior. Apesar da diferença do faturamento entre 2022 e 2021 seguir reduzindo, são vários os fatores que contribuíram para esta revisão par baixo. Primeiro, a combinação de inflação alta, chegando a mais de 7% em 12 meses (embora nos últimos meses tenhamos tido deflação) e taxa de juros também alta impactaram de forma expressiva o consumo das famílias, o que está se refletindo diretamente sobre as vendas no varejo. Outro fator foi a formação de estoques mais elevados, como uma maneira de proteção à falta de alguns produtos/insumos e aumentos de preços, consequência de externalidades ocorridas sobre as cadeias produtivas no Brasil e no mundo. Por outro lado, a atividade fabril e a pretensão de investimentos continuam em níveis iguais ou maiores que aqueles pré‑pandemia, indicando que esperamos um 2023 positivo, certamente com muito trabalho junto aos novos governos e Congresso renovado”, explica Rodrigo Navarro, presidente da ABRAMAT.

Sobre a ABRAMAT

Desde sua fundação, em abril de 2004, a ABRAMAT acompanha e contribui para o crescimento da Construção Civil no país, atuando como interlocutora do setor junto ao Governo e demais agentes da cadeia produtiva. A entidade conta atualmente com aproximadamente 400 unidades fabris de 50 empresas associadas, situadas em todas as regiões do país, que são líderes na produção de materiais de construção em diversos segmentos do setor. Entre os pilares de atuação da entidade estão a conformidade técnica e fiscal na produção e comercialização dos materiais, a competitividade e sustentabilidade da indústria, e a capacitação da mão-de-obra da construção. Para a elaboração de seus relatórios são utilizados dados oficiais disponíveis, pesquisas com associados, análise interna da equipe e metodologia FGV desenvolvida com exclusividade para a ABRAMAT.

[gs-fb-comments]

Relacionados
Mais recentes