MENU
Noticias
Menu
Início Índices do setor da Construção Civil mostram projeções negativas para 2022

Índices do setor da Construção Civil mostram projeções negativas para 2022

29 de janeiro de 2022 às 19:34
Compartilhe
Siga-nos no Google News
O setor da construção civil está bastante abalado e índices como o IE-CST e o ICST estão cada vez mais baixos, com projeções negativas para as obras e projetos do segmento
O setor da construção civil está bastante abalado e índices como o IE-CST e o ICST estão cada vez mais baixos, com projeções negativas para as obras e projetos do segmento. Fonte: Agência Brasil

O setor da construção civil está bastante abalado e índices como o IE-CST e o ICST estão cada vez mais baixos, com projeções negativas para as obras e projetos do segmento

Durante esta última quinta-feira, (27/01), a coordenadora de Projetos da Construção do FGV-Ibre comentou sobre os baixos índices que o setor da construção civil vem recebendo em 2022. O Índice de Confiança da Construção foi bastante baixo e o Índice de Expectativas segue no mesmo caminho e o setor não está nada otimista em relação aos projetos e obras do segmento.

Leia também:

Índice de Confiança da Construção apresenta quedas e o setor da construção civil pode estar abalado neste ano de 2022

O setor da construção civil é um dos que mais crescem todos os anos no mercado brasileiro e apresentam bons resultados em relação aos demais, mas as expectativas para o segmento não estão tão boas. O Índice de Confiança da Construção, um dos maiores indicadores de como se encontra o setor, recuou 3,9 pontos em janeiro, passando para 92,8 pontos, de acordo com o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV-Ibre), que calcula o indicador. O órgão afirmou que este é o menor nível desde junho de 2021, quando registrou 92,4 pontos e que o índice caiu 1,1 ponto.

A percepção das empresas e dos empresários em relação aos projetos do setor e das obras futuras segue não tão boa e o Índice de Situação Atual (ISA-CST) foi outro que recuou, apresentando queda de 2,1 pontos e chegando a 90,7 pontos, sendo o menor nível desde julho do ano passado, que registrou 89,4 pontos.

Com isso, a diminuição nos resultados do ISA-CST resultou da combinação do movimento negativo do indicador de carteira de contratos, que recuou 2,4 pontos, passando para 91,4 pontos. O indicador que mede a situação atual dos negócios também obteve uma queda e recuou 1,9 ponto, atingindo 90,1 pontos. Os indicadores continuam mostrando as projeções das empresas para o segmento no ano de 2022 e podem continuar em queda.

Ano de 2021 foi bastante positivo para o setor da construção civil, mas empresas iniciam 2022 com um pé atrás em relação ao segmento

O ano de 2021 foi altamente positivo para o segmento da construção civil, em razão das obras e projetos voltados para o setor imobiliário e isso fez com que a confiança das empresas crescesse consideravelmente. Os índices estavam em alta durante a maior parte do ano e as contratações seguiam expandindo consideravelmente, mas o início do ano de 2022 e o retorno de muitas restrições em razão da nova onda do Covid-19 fizeram com que os resultados apresentassem quedas.

Assim, a coordenadora de Projetos da Construção do FGV-Ibre, Ana Maria Castelo, comentou sobre os índices do segmento e ressaltou que “certamente o ambiente de mais incertezas com a evolução da pandemia e de taxas de juros maiores deve ter contribuído para a reversão do humor. Vale lembrar que a retomada da construção ganhou fôlego em 2021 com o desempenho positivo do mercado imobiliário. As vendas e lançamentos cresceram impulsionados por taxas de crédito, que em agosto atingiram um piso histórico. A mudança de cenário terá impactos sobre os novos negócios em 2022”.

Além disso, as projeções para o ano não estão positivas e o Índice de Expectativas (IE-CST) registrou queda de 5,8 pontos, caindo para 95 pontos, sendo o menor nível desde maio do ano de 2021, quando atingiu 89,9 pontos. O que se espera agora é que o setor possa se reestruturar durante os próximos meses e volte a crescer.

[gs-fb-comments]

Relacionados
Mais recentes