Friday, 20 de May de 2022

Telhas de policarbonato garantem mais benefícios e eficiência no setor da construção civil

O policarbonato é um grande aliado no setor da construção civil, oferecendo mais resistência para as telhas produzidas a partir dele

O policarbonato pode ser um grande aliado no setor da construção civil, oferecendo mais resistência e eficiência para as telhas produzidas a partir dele

Com o aumento na produtividade das construções, essa segunda-feira, (01/10) se inicia com uma preocupação ainda maior: confecção de materiais de alta resistência para o setor da construção civil. No entanto, a chegada do policarbonato, há 29 anos, foi uma grande conquista para o setor. A substância consegue ser a base para a produção de telhas de alta resistência e garante uma maior eficiência no setor e por isso é conhecida como o aço dos plásticos.

Confira outras notícias do setor de Construção Civil:

Policarbonato é uma alternativa eficiente e viável para a produção de telhas resistentes para serem usadas na Construção Civil, segundo especialistas

O setor da construção civil é marcado por uma série de variáveis que afetam as escolhas dos materiais que serão utilizados nos projetos e com as telhas não seria diferente. A principal preocupação em relação ao material de constituição das telhas em qualquer projeto é a resistência que ela terá, devido a alguns fatores que podem colocar a obra em risco, como por exemplo chuvas fortes e até mesmo ventanias constantes.

Por isso, é importante estar atento a qual substância será a base para a produção e qual o resultado final que ela trará. Assim, as telhas de policarbonato se consagraram como ótimas aliadas em qualquer projeto do setor da construção civil, em razão da resistência e da permeabilidade de luz que ela garante.

André Minnone, gerente responsável pela Ajover Brasil, comentou acerca do policarbonato e afirmou que “na construção, as telhas garantem a passagem de luz de forma segura para os usuários, já que suportam facilmente variações climáticas como chuva, ventos fortes e granizo que podem atingir o local”.

O policarbonato chegou ao Brasil há cerca de 29 anos, apenas, e ainda assim, conseguiu se manter como um dos principais materiais utilizados para a produção de telhas, uma vez que garante uma alta resistência, chegando a ultrapassar alguns tipos de vidro, como o float. Atualmente, o produto também é bastante utilizado para a produção de visores, uma vez que permite também uma passagem de luz satisfatória. 

Além da resistência, policarbonato garante uma série de outros benefícios para a produção de telhas 

As telhas de policarbonato não fazem tanto sucesso no setor da construção civil somente pela alta resistência para situações como grandes ventanias, mas também contam com alguns outros benefícios que podem ser úteis nos projetos. Um dos principais benefícios é a leveza, que vem junto da economia na produção das telhas. O policarbonato não é uma substância com uma grande estrutura e, por isso, oferece mais leveza para as obras, além de ser uma ótima opção para quem busca economia no orçamento final do projeto. 

Outro ponto importante dessa substância para a produção de telhas é que elas não ficam amareladas com o passar do tempo, o que acontece com outros materiais que constituem telhas translúcidas. O fato das telhas serem transparentes pode preocupar, de cara, em relação ao amarelamento, mas isso não é problema com o policarbonato.

O executivo André Minnone comentou sobre a questão do amarelamento das telhas e afirmou que “É importante buscar uma empresa que garanta telhas sem amarelar, assegurando uma iluminação uniforme e completa”, o que pode ser facilmente evitado com esse tipo de material. 

As telhas de policarbonato também podem ter diferentes formatos e ondulações, o que pode ser muito útil para a adaptabilidade com o design dos projetos na construção civil. Assim, você consegue unir esse material e ornar com o restante da obra para um acabamento final mais satisfatório.

Ruth Rodrigues
Formada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua como redatora e divulgadora científica.