Início Construção civil: Prolata e SindusCon-SP realizam parceria para arrecadar aço e rejeitos de 104 obras em São Paulo. Ao menos 17 construtoras fazem parte: veja como funciona o projeto de arrecadação de rejeitos

Construção civil: Prolata e SindusCon-SP realizam parceria para arrecadar aço e rejeitos de 104 obras em São Paulo. Ao menos 17 construtoras fazem parte: veja como funciona o projeto de arrecadação de rejeitos

13 de junho de 2022 às 09:30
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Construção civil: Prolata e SindusCon-SP realizam parceria e criam mais de 104 obras através de 14 construtoras - Canva
Projeto é promissor para economia – Canva

Empresas voltadas para a construção civil poderão doar uma parte do aço e de outros materiais deixados nas obras que não serão mais utilizados. Ao menos 17 empresas já estão fazendo parte e contam com 104 obras doando! 

A Prolata é uma associação sem fins lucrativos voltada para a cadeia logística do estado de São Paulo, que realiza arrecadação de aço nas ruas e em parceria com empresas. Atualmente, está atuando lado a lado com o Sindicato da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP),  para receber materiais e rejeitos de 104 obras em andamento através de 17 construtoras espalhadas em todo o estado. A parceira é voltada para a criação de  obras para reciclagem destes rejeitos, em simultâneo, em que permite a revalorização dos canteiros  de obras na construção civil. Conforme a associação sem fins lucrativos, é estimado que tenham arrecadado mais de 237 mil kg de latas. 

A Patriani e a Cyrela estão na lista de construtoras cadastradas, mas várias outras também se inscreveram para fazer parte deste projeto, como no caso da Tecnisa e Vinx. A parceria entre o sindicato e associação sem fins lucrativos permite que haja a coleta e restituição de determinados resíduos no setor empresarial como previsto na Lei de Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS).

Leia mais sobre Construção civil

Os rejeitos são de responsabilidade exclusiva da obra, afirma a  Thais Fagury, presidente da Associação Brasileira de Embalagem de Aço (Abeaço) e diretora da Prolata

 Thais Fagury, presidente da Associação Brasileira de Embalagem de Aço (Abeaço) e diretora da Prolata, afirma que todos os rejeitos liberados nas obras que tenham relação com o aço e outras categorias de lixos, devem ser de responsabilidade da obra e da pessoa jurídica que foi responsável pela emissão da mesma. No entanto, nem sempre é assim que acontece e grande parte das construtoras tendem a eliminar rejeitos de forma inapropriada sem se preocupar com o meio ambiente.  De acordo com ela, o programa criado pela Prolata tem o intuito de facilitar para haver o descarte de metais pelas empresas de forma segura e conforme previsto em lei. 

Mas, como funciona o projeto? 

De forma simplificada, as construtoras voltadas para a construção civil poderão se candidatar para o projeto criado pela Prolata e SindusCon-SP. A Prolata e SindusCon-SP   possuem o intuito de arrecadar aço e outros metais liberados nas obras para o tratamento. Ao menos 17 construtoras já estão inscritas e mais de 104 obras em andamento estão fazendo parte da doação dos rejeitos. 

Vale salientar, enquanto isso, que o SindusCon-SP conta com mais de 100 construtoras associadas em todo o estado de São Paulo e garante o direito de colaboradores da indústria de construção para estarem trabalhando em um ambiente seguro. 

[gs-fb-comments]

Relacionados
Mais recentes