Início Tijolos ecológicos feitos de restos de óleo de cozinha prometem ser a revelação da Construção Civil

Tijolos ecológicos feitos de restos de óleo de cozinha prometem ser a revelação da Construção Civil

10 de agosto de 2022 às 16:14
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Tijolos ecológicos
Tijolos ecológicos (Reprodução: divulgação)

Novos tijolos ecológicos prometem mudar a dinâmica da construção civil. A empreitada, realizada por pesquisadores do Chalker Lab, pertencendo a Universidade Flinders na Austrália, criaram um tipo de tijolo feito a partir de óleo de cozinha, misturado com enxofre e diciclopentadieno (DCPD). Além de muito resistentes, esses pequenos blocos para construção se unem sem argamassa, utilizando apenas uma pequena quantidade de catalisador amina.

Neste sentido, a descoberta proporciona a produção de tijolos ecológicos mais baratos, pois são fabricados com matérias-primas abundantes e acessíveis. Além disso, eles permitem a reciclagem de diversos resíduos domésticos e industriais de forma muito mais sustentável do que as tradicionais formas de descarte atuais. Portanto, os novos tijolos conseguem resolver vários problemas de uma só vez.

Além disso, conforme explica Justin Chalker, o professor de química da Flinders, existe uma ótima questão de sustentabilidade. Dessa forma, ele lembrou que a produção de cimento, ferro e aço, os principais materiais utilizados atualmente em construções, são responsáveis por mais de 15% das emissões globais de CO2.

Sendo assim, o Dr. Matthew Flinders Justin Chalke, que comandou o estudo, afirmou que o projeto testou um novo tipo de tijolo que pode ser feito a partir de óleo de cozinha usado, que é misturado com enxofre e diciclopentadieno (DCPD). Dessa forma, tanto o enxofre quanto o DCPD são subprodutos do refino de petróleo. Logo, os tijolos ecológicos se unem sem a presença de argamassa após a aplicação de um catalisador amino.

Portanto, a ligação desse novo processo catalítico é muito forte, capaz de produzir um material de construção sustentável que, eventualmente, será capaz de simplificar a construção civil, devido ao seu caráter ecológico e sustentável, que é um dos pilares do setor na atualidade.

Os novos tijolos ecológicos possuem grande resistência?

Para garantir a utilização dos novos tijolos ecológicos na construção civil, os pesquisadores realizaram diversos testes para avaliar a resistências dos polímeros gerados a partir do óleo de cozinha residual, além de enxofre e DCPD. Paralelamente, os pesquisadores também exploraram algumas formas de reforçar o material e, para isso, contaram com a adição de um enchimento feito de fibra de carbono.

A conclusão do projeto apontou que os tijolos ecológicos podem ser utilizados normalmente nas construções, mesmo sem os enchimentos. Assim, isso ocorre devido à força das ligações de metátese S-S no polímero do qual são criadas. Além disso, as ligações permitem que os tijolos tenham maior aderência uns aos outros, o que permite uma aplicação sem argamassa e estável.

Finalmente, o estudo demonstrou uma abordagem diferenciada da tradicional queima, pois reciclou resíduos de forma inédita, além de conseguir agregar os recursos ao meio ambiente. Como consequência, o estudo estampou a capa da edição de julho da Macromolecular Chemistry and Physics.

Por que usar tijolos ecológicos?

Diversas razões são importantes para substituir os tijolos tradicionais pelos tijolos ecológicos. Entre as principais, pode-se citar:

Estética: Devido a sua estética, os tijolos ecológicos proporcionam um tom rústico às construções, sendo perfeitos para casas de praia ou de campo. Além disso, também é ideal utilizá-los em ambientes sofisticados, que mesclam rusticidade e modernidade.

Sustentabilidade: A utilização dos tijolos ecológicos proporciona menor impacto ambiental devido ao seu caráter de produção. Além disso, por ser produzido com descartes, ele oferece melhor aproveitamento de matérias primas que, eventualmente, seriam descartadas de forma incorreta.

Melhor produtividade:  A construção realizada com tijolos ecológicos demanda menor tempo e mão de obra, pois o rápido encaixe proporciona uma quantidade menor de argamassa, caso seja necessário. Sendo assim, as obras se tornam mais rápidas e limpas, e o custo final pode ser bem menor do que o tradicional, devido a economia de tempo e argamassa.

Leia mais: Vai fazer uma reforma? Veja quais são os 10 erros em obra que geralmente ocorrem e que você não deve fazer.

[gs-fb-comments]

Relacionados
Mais recentes