Tuesday, 28 de September de 2021

Com materiais e mão de obra em alta, custos de construção cresce em 1,89% e afeta Região Sudeste

mão de obra e construção tem preços elevados no brasil

Desde a chegada da pandemia, todos os setores foram afetados. Em relação as obras e construção civil, os custos sofrem aumento no valor de materiais e com a mão de obra, principalmente nos estados do Sudeste.

De acordo com os dados divulgados pelo IBGE nesta terça-feira, (10), Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), teve a sua terceira alta no ano, aumentando em 1,89% em julho. No entanto, se comparado com os valores do mês anterior, que bateu 2,46%, ainda há esperanças que os custos com materiais e mão de obra, voltem a baixar.

Quando fazemos comparação, percebemos a mudança brusca nos valores, que fazem até muitos desistirem de construir ou reformar a sua casa ou outra obra. Calculando os dados dos últimos 12 meses, obtemos como resultado, 22,60%. Maior média já registrada anualmente por esse setor. Já quando o cálculo engloba os meses de janeiro a julho de 2021, chega a 13,49%. No entanto, ainda faltam quase 5 meses para terminar o ano.

Você pode se interessar:

Por que materiais de construção estão tão caros?

Não existe somente um fator que possa interferir nos valores finais dos materiais. O custo com combustível para entregas e recebimentos de mercadoria, fabricantes tendo que aumentar o valor pois, assim como em demais setores, matérias-primas estão tendo preços mais altos.

Então, o aumento já vem desde o preço de fábrica, que para ter algum lucro, precisa fazer esse reajuste. Para Augusto Oliveira, gerente da Sinapi, “Os indicadores acumulados estão apresentando maiores valores e crescendo sucessivamente porque estamos substituindo meses com menores índices de 2020. Além de haver uma diferença grande nas taxas mensais, não houve, até agora, nenhum mês em 2021 cujo índice tenha sido menor do que os verificados em 2020. Desde novembro de 2020, quando ficou em 8,30%, este acumulado vem registrando mensalmente as maiores taxas da série”.

média de mão de obra e materiais de construção nas regiões norte e nordeste
Média de mão de obra e materiais de construção nas regiões Norte e Nordeste. Fonte: IBGE

Dessa forma, quando calculamos o valor atual de uma construção por m2, a média varia em torno de R$ 1.448,78. Para chegar nesse preço em julho, a média de mão de obra tende a ser de R$ 595,75, enquanto os materiais de construção, esses poderiam chegar a até, R$ 853,03. Mas, até o mês passado, em junho, o custo nacional perfazia um total de R$ 1.421,87.

Média de mão de obra e materiais de construção nas regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste. Fonte: IBGE
Média de mão de obra e materiais de construção nas regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste. Fonte: IBGE

No entanto, é válido ressaltar que esses valores de mão de obra e materiais de construção, são médias feitas com valores nacionais. O tamanho da sua obra também poderá ser um dos fatores mais essenciais para o valor final da obra. Caso seja somente reparos, o preço pode ser pequeno, mas se for para construir uma casa, o dinheiro a ser desembolsado é bem caro.

Região Sudeste tem maior variação mensal nesse setor

A nível nacional, o parcelamento dos materiais sofreu uma variação de 2,88%. Uma alta de 0,52 ponto percentual a mais que o registrado no mês de julho, que bateu 2,36%. Quando comparado em relação ao mesmo mês (julho) do ano anterior, o aumento foi brusco, uma vez em 2020, julho fechou em 0,48%, ou seja, 2,40 pontos percentuais.

Quando os valores são comparados a nível regional, o mais prejudicado em relação a valores de mão de obra e materiais de construção é o Sudeste. Em relação as parcelas de materiais, a variação regional bateu 2,25% e as demais regiões, apresentaram resultados inferiores, como: 1,29% (Norte), 1,56% (Nordeste), 1,90% (Sul), e 1,98% (Centro-Oeste).

Em relação a construção por m2, os valores regionais também apresentaram um aumento considerável. Por exemplo, na região Nordeste, a mão de obra com materiais sairia por R$ 1.364,47. No Norte do país, R$ 1.400,82, no Centro-Oeste o equivalente a R$ 1.406,76. Os dois valores mais altos seriam do Sudeste (R$ 1.516,02) e Sul (R$ 1.521,78).

Ruth Rodrigues
Formada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua como redatora e divulgadora científica.