Tuesday, 28 de September de 2021

Obras de construção civil serão retomadas mundialmente em larga escala

Grandes obras de construção civil serão desenvolvidas em países internacionais

Brasil pode não ter grandes obras no setor de construção civil no decorrer dos próximos meses. Mas, mercado internacional está cheio de projetos.

Com a chegada do novo Coronavírus, o distanciamento social foi uma das medidas de segurança mais adotadas. Dessa forma, todos os setores tiveram que parar a sua produção, para evitar os riscos de contaminação. Desde então, os governos estaduais, federais ou internacionais, tiveram que colocar todas as obras de construção civil em pausa, inclusive aquelas que não haviam começado.

Nos países internacionais, a pandemia vem regredindo, fazendo com que os setores voltem a funcionar novamente. Pensando nisso, os governos de países como Reino Unido, Bruxelas e Estados Unidos, já estão acionando as empresas contratadas para voltarem a ativa e recomeçarem a construir novas obras para população, gerando inúmeros empregos.

Confira mais artigos interessantes:

Pós-pandemia terá um retorno positivo para obras de construção civil?

Apesar de ainda ser uma data meio incerta para acontecer, as coisas aos poucos estão retomando ao seu lugar. Sendo assim, quando todos os setores retomarem a sua atividade, serão de uma vez só. E sim, isso pode ser muito benéfico para a economia local e mundial. De acordo com o Jan Jenisch, CEO da Holcim (maior produtora de cimento a nível mundial), está bem próximo de uma onda de obras serem iniciadas.

Para Jan, os países desenvolvidos irão aproveitar esse momento para investi pesado nas construções e modernizar ao máximo, todas as suas estruturas. Afinal, quando tudo isso acabar, a retomada de turismo irá ser um dos principais movimentadores da economia. Segundo ele, “Os estímulos começarão lentamente. Isso durará pelos próximos quatro ou cinco anos. Acredito que estamos num ‘superciclo’ de avanço para a construção e os materiais de construção”.

Ou seja, caso o mesmo aconteça com o Brasil, irá impulsionar a economia de vários estados, bem como, gerar uma onda de empregos por obra, que podem durar longos períodos. Seria uma das melhores opções e também uma das mais viáveis, pois, ajudaria o Brasil e o povo brasileiro. No entanto, como a pandemia ainda está muito forte em território brasileiro, talvez as obras de construção civil demorem um pouco para saírem do papel.

Já para Noble Francis, diretor econômico da Associação de Produtos de Construção – CPA, os países mais desenvolvidos irão investir muito dinheiro em projetos de infraestrutura. Tais como: estradas, portos, ferrovias, barragens e no setor de energia. Com isso, a quantidade de cimento e mão de obra para que as construções sejam erguidas serão em grande quantidade.

Em que situação está inserido o Brasil?

Infelizmente, o nosso país está regredindo cada vez mais no setor de infraestrutura. De acordo com Isaac Sidney, presidente da Febranban (Federação Brasileira de Bancos), os bancos já emprestaram cerca de R$ 500 bilhões para que os projetos de infraestrutura no Brasil, consigam avançar. Mas, devido ao Banco Central (BC), que põe o setor em rédeas curtas, ele acaba não avançando muito.

Dessa forma, esperar por obras de construção civil no mesmo nível que os EUA ou Reino Unido, pode jamais acontecer. No entanto, a esperança é depositada nas construções estaduais, onde gera empregos e movimenta a economia local. Para Isaac, “o Brasil investe pouco e cresce pouco, a infraestrutura ainda possui muita dependência do investimento de setor público”.

Portanto, o próprio Governo Federal poderá não entregar muitas obras ao longo deste ou do próximo ano. a expectativa no país é que, após a onda de Covid-19 diminuir, as coisas ainda demorem um pouco para retomar oficialmente. Com isso, a previsão é que grandes construções sejam realizadas entre 2022 a 2023.

Mas, ainda temos alguns meses até a finalização de 2021 e tudo pode mudar de uma hora para outra. Sendo assim, caso você esteja precisando de um emprego na área de obras de construção civil, a única solução é procurar em construtoras locais ou que atuem em outros estados.

Ruth Rodrigues
Formada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua como redatora e divulgadora científica.