Início Produção de aço no Brasil cai e setores da indústria e da construção civil sofrem com inflação e altos preços na matéria-prima, segundo relatório da Alacero

Produção de aço no Brasil cai e setores da indústria e da construção civil sofrem com inflação e altos preços na matéria-prima, segundo relatório da Alacero

11 de abril de 2022 às 17:49
Compartilhe
Siga-nos no Google News
A Alacero liberou um relatório sobre os dados da produção de aço no Brasil e constatou a alta na inflação e nos preços como os principais danos causados aos setores da indústria e da construção civil, que agora precisam buscar alternativas para a matéria-prima
A Alacero liberou um relatório sobre os dados da produção de aço no Brasil e constatou a alta na inflação e nos preços como os principais danos causados aos setores da indústria e da construção civil, que agora precisam buscar alternativas para a matéria-prima. Fonte: Divulgação

A Alacero liberou um relatório sobre os dados da produção de aço no Brasil e constatou a alta na inflação e nos preços como os principais danos causados aos setores da indústria e da construção civil, que agora precisam buscar alternativas para a matéria-prima

De acordo com os dados do relatório da Associação Latino-Americana do Aço (Alacero) divulgados na última quarta-feira, (06/04), a produção de aço no Brasil vem sofrendo com uma queda ao longo dos primeiros meses de 2022. Dessa forma, a indústria e a construção civil serão diretamente afetadas com os altos preços e a inflação que está cercando o país e agora influencia também a produção dessa matéria-prima.

Não perca outras notícias do setor:

Brasil enfrenta problemas na produção de aço durante os primeiros meses de 2022 e queda produtiva deverá continuar ao longo do restante do ano, segundo Alacero 

Após ter conseguido se reerguer e se recuperar ao longo do ano de 2021, a produção de aço no mercado brasileiro volta a apresentar quedas e preocupa segmentos como a indústria e a construção civil, uma vez que essa é uma matéria-prima essencial para o desenvolvimento de uma série de projetos dentro de ambos os setores, que agora precisam de novas alternativas para reduzir os custos e a inflação sobre o produto. 

Somente durante os meses de janeiro e fevereiro, a produção de aço apresentou uma queda de cerca de 2,2%, segundo o relatório divulgado pela Alacero, em comparação com o mesmo período do ano de 2021. Além disso, os dados mostram que, somando os dois meses em questão, a produção de aço deixou de aproveitar cerca de 500 mil quilos da matéria-prima, o que causou um grande impacto e um alto déficit dentro dos segmentos da indústria e da construção civil. 

De acordo com o relatório da associação, é esperado neste ano uma demanda 2,1% abaixo da média histórica e, com isso, um impacto ainda maior dentro desses setores, que já sofrem com os altos preços e a elevada inflação sobre a matéria-prima. Dessa forma, o ano de 2022 poderá não ser nada positivo para a produção de aço, mas a Alacero espera que o segmento consiga se reerguer novamente ao longo do ano de 2023 e possa frear as quedas na produtividade da matéria-prima, uma vez que ela impacta diretamente toda a cadeia produtiva nacional. 

Produção de aço deverá continuar em queda ao longo do ano de 2022 e inflação e altos preços serão as principais consequências para os setores afetados pela queda na matéria-prima 

Devido ao grau de importância dentro da cadeia produtiva de diversos setores como a indústria, construção civil e mercado automobilístico, a queda na produção de aço está sendo motivada pelos altos índices de inflação e, com isso, irá fomentar uma grande alta nos preços da matéria-prima. Assim, as projeções da Alacero que mostram uma continuidade na queda produtiva do aço não são nada positivas para esses segmentos do mercado nacional. 

Com isso, Renan Pieri, economista da FGV (Fundação Getúlio Vargas), comentou sobre o cenário atual na produção do aço e afirmou que “Com a taxa de juros subindo, a expectativa é que a demanda caia ainda mais nos próximos meses. O custo de produção aumentou em toda as indústrias, principalmente com a questão energética e da inflação no Brasil. Isso também acaba resultando em uma redução de oferta. Esses são os principais pontos que demostram essa tendência”.

A guerra entre Ucrânia e Rússia também vem dinamizando e alterando as relações de transporte de cargas no mercado internacional e afeta indiretamente a produção da matéria-prima, comprometendo assim grande parte da cadeia produtiva do mercado nacional.

[gs-fb-comments]

Relacionados
Mais recentes