Friday, 20 de May de 2022

Startup colombiana Tul trará tecnologia de vendas de materiais da construção civil projeta grandes investimentos no Brasil

A startup colombiana Tul é famosa pelos seus aplicativos de vendas de materiais usados na construção civil e, agora, chega ao Brasil para movimentar a tecnologia no setor

A startup colombiana Tul é famosa pelos seus aplicativos de vendas de materiais usados na construção civil e, agora, chega ao Brasil para movimentar a tecnologia no setor

A startup colombiana Tul anunciou que chegará ao Brasil ainda neste ano. A empresa é famosa pelos seus aplicativos de vendas de materiais da construção civil nos celulares e pretende trazer a tecnologia para o Brasil, visando uma expansão maior dos negócios no mercado global. A partir dessa terça-feira, (11/01), o setor de Obras, seus profissionais e usuários irão ser beneficiados de forma positiva, com a notícia que promete lhes trazer facilidade na hora das compras.

Não perca essas notícias:

Venda de materiais da construção civil nos celulares é a aposta da colombiana Tul para o crescimento da tecnologia no setor 

Durante o início da pandemia, no ano de 2020, os colombianos Nicolás Villegas, Juan Carlos Narvaez e Enrique Villamarin criaram a startup Tul, com o objetivo de trazer mais tecnologia para o setor da construção civil. Os jovens perceberam que o setor ainda era um dos únicos pouco digitalizados na América Latina e pretendiam mudar esse cenário no continente. Assim, a Tul desenvolveu aplicativos de vendas de materiais desse segmento para celulares, visando uma alteração na logística do setor. 

O diretor regional da Tul destacou que “a indústria vê as pequenas e médias lojas de materiais de construção como clientes pulverizados, mas sabemos que por trás delas estão empreendedores respeitados em suas regiões. Eles vendem materiais em regiões periféricas de grandes cidades da América Latina, permitindo que pessoas construam e melhorem suas moradias. São esses empreendedores que dão condições de as pessoas conquistarem a casa própria, seus maiores e talvez únicos ativos”.

Assim, a companhia já está atualmente com 40 mil lojistas cadastrados em nove cidades da Colômbia, do Equador e do México. O objetivo principal da startup é atrair pequenos comércios, com até 10 funcionários, para que o setor varejista da construção civil possa ser mais digitalizado. Agora, a empresa chega ao mercado Brasileiro visando uma expansão ainda maior dos seus negócios por todo o setor da construção civil na América Latina. 

Primeira parada da startup colombiana Tul no Brasil será a grande São Paulo, atraindo novos colaboradores para as vendas de materiais 

O mercado da construção civil no Brasil é gigantesco e o país conta com mais de 40 mil lojas no segmento. Assim, a Tul não poderia ficar de fora desse segmento no território brasileiro e anunciou a sua chegada ao mercado nacional no ano de 2022. A primeira parada do aplicativo será a grande São Paulo, que contém cerca de 15 mil lojas de materiais da construção civil e as negociações com os lojistas já estão acontecendo para que o início das operações da empresa no Brasil aconteça no mês de março deste ano. 

O fundo brasileiro Monashees, o americano Tiger Global e o japonês SoftBank investiram cerca de R$ 1 bilhão para a expansão da empresa no mercado internacional e o Brasil é o foco inicial para o ano de 2022. O diretor geral ainda destaca que “A empresa passou sua fase de provar o conceito. Expandiu rápido na Colômbia e depois expandiu rápido pelo pequeno Equador. Em abril de 2021, começou a explorar o mercado mexicano. Um ano depois, é a vez de explorar o mercado brasileiro”.

Até o fim do ano de 2022, a Tul pretende chegar à marca de 10 mil lojas brasileiras cadastradas no seu aplicativo, visando uma expansão maior das vendas da construção civil na palma da mão dos compradores. Além disso, a empresa afirmou que tem como objetivo expandir esses números e chegar a todo o Brasil durante os próximos anos.

Ruth Rodrigues
Formada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua como redatora e divulgadora científica.